EPD

Escala de Pensamentos Depressivos - Coleção Completa

Adriana M. Carneiro; Makilim N. Baptista
Ocultar subprodutos

Material restrito à psicólogos

 

Descrição

A Escala de Pensamentos Depressivos- EPD, é um instrumento autoaplicável, que contém 26 itens com 03 opções de respostas cada. Seu objetivo é avaliar distorções de pensamentos comumente encontradas em pessoas com depressão e está baseada no modelo da tríade cognitiva de A.T. Beck.

A Escala de Pensamentos Depressivos foi desenvolvida a partir da verificação dos pressupostos da Psicoterapia Cognitiva – TC, de que os pensamentos contribuem de forma significativa para o desenvolvimento de transtornos mentais, dentre eles, a depressão.

 

Público-Alvo

O instrumento é destinado a adultos entre as faixas de 18 a 59 anos.

 

Contexto

Clínico, Hospitalar e em Pesquisas.

A EPD visa auxiliar pesquisadores e profissionais de saúde, em especial psicólogos clínicos e de ambulatórios de distúrbios/transtornos afetivos, no desenvolvimento de avaliações padronizadas e que possam também gerar intervenções mais efetivas e focadas no conteúdo dos pensamentos seja no desenvolvimento seja no agravamento de psicopatologias. Assim, visa contemplar a melhora da qualidade de vida não apenas do sujeito que tem pensamentos negativistas, mas também de sua família e daqueles que o acompanham. 

 

Aplicação

Não há limite de tempo para aplicação, sendo que, em média, 20 minutos são suficientes para responder o instrumento, além de ser aconselhável a aplicação em única sessão.

É recomendável que as aplicações coletivas tenham no máximo 40 pessoas, e que seja contratado um auxiliar quando o número de sujeitos na sala exceder a 20.

Para a aplicação são necessários a folha de teste e caneta/lápis grafite.

 

Imagens do material

  

 

Normatização

Os estudos de evidências de validade e precisão foram realizados com amostras de dois Estados – São Paulo e Minas Gerais – e compreenderam estudantes universitários (N =364), trabalhadores administrativos (N = 119), profissionais de saúde (N = 150), além de pacientes com diagnóstico, encaminhados por psiquiatras e com diagnóstico confirmado pela Structured Clinical Interview for DSM-IV (SCID), no primeiro estudo (N = 32).

O segundo estudo contou com mais 424 participantes, dos Estados, sendo 392 semdiagnóstico relatado e 32 com diagnóstico confirmado de depressão. Os estudos de estrutura interna utilizaram tanto a Teoria clássica dos Testes (TCT) como também a Teoria de Resposta ao Item (TRI).

 

Artigos e reportagens relacionadas

 

Desenvolvimento e propriedades psicométricas da Escala de Pensamentos Depressivos - EPD

Link: https://mla.bs/7941efe3

 

Avaliação das condições de saúde e distorções cognitivas de idosos com depressão

Link: https://mla.bs/cd0a76ee

 

Pensamentos disfuncionais e comportamentos evitativos ao longo do episódio depressivo: um estudo longitudinal 

Link: https://mla.bs/f61de1b8

  

Escala avalia pensamentos distorcidos causados pela depressão

Link: https://mla.bs/852f2781

   

 

Autores

 

Adriana Munhoz Carneiro

Psicóloga. Mestre em Psicologia pela Universidade São Francisco (2011), com ênfase em Avaliação Psicológica em Saúde Mental; Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental em Saúde Mental pelo AMBAN IPqFMUSP; Especialização em Avaliação Neuropsicológica pelo Departamento de Neurologia IPqFMUSP ; doutoranda em Psiquiatria pelo HCFMUSP. Atua em clínica; experiência em Construção e Validação de Testes, Escalas e Outras Medidas Psicológicas.

 

Makilin Nunes Baptista

Mestrado em Psicologia PUC (1997) e Doutorado pelo departamento de Psiquiatria e Psicologia Médica da Universidade Federal de São Paulo (2001). Atualmente é docente do Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu em Psicologia da Universidade São Francisco. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Avaliação Psicológica, Tratamento e Prevenção Psicológica, atuando principalmente nos seguintes temas: depressão, suporte familiar, suicídio, adolescentes e estresse.